Cirurgias Reparadoras das Pálpebras

Diversas patologias congênitas (presentes ao nascimento) ou adquiridas podem acometer as pálpebras e região periocular. Dentre as principais podemos citar tumores cutâneos, ptose palpebral (queda das pálpebras), ectrópio (eversão das pálpebras), entrópio (inversão das pálpebras).

Avaliação pré-operatória: Nesse momento o cirurgião avalia o problema e a causa deste, o que interfere na conduta cirúrgica. Pode ser necessária a avaliação de um oftalmologista principalmente quando a queixa inclui alterações visuais.

Anestesia: Assim como a blefaroplastia, pode ser feita através de anestesia local com sedação ou anestesia geral. Lembrando que a anestesia é um procedimento médico complexo, estando o tipo de anestesia condicionado a decisão do médico anestesiologista em acordo com o cirurgião após avaliação do paciente.

Cuidados pós operatórios: O tempo de internação varia entre 12 e 24 horas. Normalmente nas primeiras 48 horas é recomendado utilizar compressas frias nos olhos. Pode ocorrer edema (inchaço na região da cirurgia) e algum grau de hematoma (dando um tom arroxeado ao local da cirurgia), com melhora do quadro em alguns dias após a cirurgia.

Cirurgias & Procedimentos

Cirurgias Plásticas
Procedimentos não invasivos

Contato