Mamoplastia de Aumento

A mamoplastia de aumento é uma das cirurgias mais realizadas atualmente. Hoje em dia contamos com diversas opções de implantes. Os implantes mamários variam principalmente de acordo com a sua base (medida em centímetros e milímetros), sua projeção (de baixo a extra alto), seu perfil (anatômicos, conhecidos popularmente como “em gota” ou redondos) e seu revestimento (no Brasil utilizamos principalmente os microtexturizados e os de poliuretano.

Com relação a forma de inserção do implante temos a via periareolar (por baixo do contorno da aréola), via submamária (pequena incisão no sulco da mama) e axilar. Os implantes podem se situar por trás da glândula mamária, por trás da fáscia do musculo peitoral maior, por trás do musculo peitoral maior ou coberto apenas em sua porção superior pelo musculo peitoral maior (técnica conhecida como “Dual Plane”.

O cirurgião escolhe a técnica basicamente de acordo com a altura, diâmetro do tórax e características anatômicas da mama da paciente tentando, sempre que possível, aliar a melhor técnica a preferência da paciente.

É sempre importante lembrar que a inserção simples de implante não corrige queda (ptose) da mama, sendo necessário nestes casos utilizar técnicas de mastopexia (retirada de pele da mama).

Cuidados pré-operatórios: No pré-operatório o cirurgião faz a avaliação clínica das mamas da paciente, levando em conta suas expectativas e aliando estas ao melhor resultado tecnicamente possível. Pode ser necessário a avaliação do tecido da mama através de Ultrassonografia ou mamografia para descartar qualquer alteração do tecido que possa comprometer o resultado cirúrgico.

Anestesia: A mamoplastia de aumento pode ser feita, basicamente através de anestesia local associada a sedação com medicamentos, anestesia peridural acima do nível da cirurgia ou anestesia geral. Lembrando que a anestesia é um procedimento médico complexo, estando o tipo de anestesia condicionado a decisão do médico anestesiologista em acordo com o cirurgião após avaliação do paciente.

Cuidados pós operatórios: O tempo de internação previsto é de 12 a 24 horas. A realização de atividade física extenuante deve ser evitada por 30 dias para os membros inferiores e 45 dias para os membros superiores, Atividades cotidianas como dirigir devem ser evitadas por 30 dias, porém, com cuidado, podem ser realizadas a partir de 20 dias. Elevação dos membros superiores acima de 90 graus também devem ser evitadas por 30 dias. O uso de sutiã modelador deve ser utilizado por 30 dias.

Cirurgias & Procedimentos

Cirurgias Reparadoras
Procedimentos não invasivos

Contato