Ginecomastia

O aumento da glândula mamária no homem (ginecomatia) ou o aumento localizado de gordura na mama (lipomastia ou pseudo-ginecomastia) é uma das principais causas de procura do consultório de cirurgia plástica pelo público do sexo masculino.

Apesar da principal causa de ginecomastia ser o desequilíbrio hormonal da puberdade, também podemos citar o uso de algumas medicações, principalmente derivados da testosterona e alterações hormonais patológicas, que devem ser avaliadas por um médico endocrinologista.

A partir do momento da decisão pela cirurgia, o cirurgião, na maioria das vezes, realiza a extração do excesso de glândula por via periareolar (lembrando que dependendo do tamanho da glândula e do grau de aumento da mama, incisões maiores podem ser necessárias).

Pode ser necessária lipoaspiração da região para corrigir irregularidades decorrentes da retirada da glândula e melhorar o contorno.

Pré-operatório: Uma avaliação clínica e história da patologia é feita pelo cirurgião levando em conta suas expectativas e aliando estas ao melhor resultado tecnicamente possível. Caso haja necessidade pode solicitar avaliação endocrinológica. Pode ser também necessária a avaliação do tecido mamário através de Ultrassonografia.

Anestesia: A cirurgia de ginecomastia pode ser feita, basicamente através de anestesia local associada a sedação com medicamentos, anestesia peridural acima do nível da cirurgia ou anestesia geral. Lembrando que a anestesia é um procedimento médico complexo, estando o tipo de anestesia condicionado a decisão do médico anestesiologista em acordo com o cirurgião após avaliação do paciente.

Cuidados pós operatórios: O tempo de internação previsto é de cerca de 24 horas, Exercícios físicos extenuantes dos membros superiores devem ser evitados por 30 dias. Atividades cotidianas como dirigis podem ser liberadas, com cuidado, a partir de 15 dias. O colete modelador deve ser utilizado por 30 dias.

Cirurgias & Procedimentos

Cirurgias Reparadoras
Procedimentos não invasivos

Contato