Abdominoplastia

O excesso de tecido que se acumula na região inferior do abdome pode ser retirado cirurgicamente, avançando o tecido do abdome superior e refazendo a cicatriz umbilical, deixando a região abdominal com formas mais harmônicas e aumentando a qualidade de vida do paciente através da retirada do chamado “abdome em avental”.

Durante o procedimento é também realizada a aproximação dos músculos reto abdominais através de sutura, o que corrige a chamada diástase (adquirida geralmente após ganho excessivo de peso e gestação), melhorando ainda mais o contorno do abdome.

Pode-se também associar lipoaspiração ao procedimento para melhorar o contorno corporal.

Este procedimento normalmente deixa uma cicatriz na região inferior do abdome (pouco abaixo da linha da cintura). Em pacientes com grandes perdas de peso, como é o caso de pacientes submetidos a cirurgia bariátrica, com grande flacidez de pele, pode ser necessária a ampliação das cicatrizes para vertical em direção superior (cicatriz “em âncora”) ou até mesmo um ampliação horizontal com cicatrizes maiores na linha da cintura.

Avaliação pré-operatória: Nesta etapa o cirurgião avalia a quantidade de tecido na região abdominal inferior e a quantidade de gordura extra abdominal e intra-abdominal levando em conta suas expectativas e aliando estas ao melhor resultado tecnicamente possível. E sempre necessária a avaliação complementar através de Ultrassonografia de parede abdominal ou Tomografia computadorizada de abdome para que possamos avaliar a presença de hérnias não diagnosticadas no exame físico. Fumantes devem suspender o cigarro por, pelo menos, 3 meses antes da cirurgia, pois as substâncias contidas no cigarro são extremamente danosas a circulação dos pequenos vasos, aumentando muito o índice de complicação.

Anestesia: A abdominoplastia pode ser feita, basicamente através de raquianestesia ou anestesia peridural associadas a sedação com medicamentos ou anestesia geral. Lembrando que a anestesia é um procedimento médico complexo, estando o tipo de anestesia condicionado a decisão do médico anestesiologista em acordo com o cirurgião após avaliação do paciente.

Cuidados pós operatórios: O tempo de internação previsto é de 24 horas. Nos primeiros dias pode ser necessária a adoção de uma posição de flexão do tronco e dos membros inferiores (posição de Fowler), afim de diminuir a tensão na região inferior do abdome. Nos primeiros dias também é normal ocorrer uma sensação de repuxar no abdome e que haja necessidade de adoção de uma postura curvada, fatores que melhoram gradualmente e precocemente no pós operatório. Exercícios físicos extenuantes devem ser evitados por 30 a 45 dias de pós operatório e o uso de cinta modeladora deve ser utilizado pelo mesmo tempo.

Cirurgias & Procedimentos

Cirurgias Reparadoras
Procedimentos não invasivos

Contato